Terroir que amamos!

Hoje é dia de irmos mais ao norte de Santiago, para o Aconcágua, uma região a 20km do oceano pacífico, com vinhedos normalmente localizados nas encostas e colinas da região, formados entre o período Jurássico e Cretáceo, há mais ou menos 100 a 200 milhões de anos. Os solos dessa região dependem diretamente da forma de decomposição da rocha mãe de onde estão situados, como por exemplo as rochas metamórficas onde encontramos ardósias, advindas diretamente de rochas vulcânicas e ou sedimentares de granulação fina. Nesta região temos solos rochosos como os de ardósia e solos mais finos com silte e argila, associados a decomposição de rochas vulcânicas e intrusivas de colinas mais baixas que permitem a circulação de brisas mais frias vindas do Pacífico.

Mais uma vez percebemos a influência do oceano Pacífico nos vinhedos da zona costeira, sendo um dos principais fatores quando pensamos nos estilos dos vinhos dali. No caso do Aconcágua, o solo com ardósia traz uma mineralidade diferenciada aos seus vinhos, somando as brisas marítimas que trazem frutas vermelhas e frescas, com um resultado muito autêntico em seus vinhos.

Desta vez, um vinho apenas não será o suficiente para vivenciar a experiencia de forma completa, e por este motivo, indicamos logo a vinícola inteira. A Viña Von Siebenthal, com vinhos autênticos e de personalidade e muito caráter, valendo destacar o seu Carmenere e o Parcela #7 que inauguram uma linha  complexa de vinhos, chegando ao Toknar 100% Petit Verdot com seu longuíssimo estágio em barricas de carvalho ou como o Tatay de Cristóbal, seu ícone 100% Carmenere.

Quando provarem, nos contem o que acharam!

Postagens Recomendadas